sábado, 6 de fevereiro de 2016

Entrevista: Pádua Araújo esclarece polêmicas e fala sobre demissões e perseguições

Posted at  00:55:00  |  in  #Fora do Ar


O entrevistado do "Fora do Ar" de hoje se trata do radialista e apresentador com 28 anos de profissão, Pádua Araújo. Ele começou sua carreira no Rádio como repórter esportivo na cidade de Piripiri. É natural da cidade de Boa Hora. Polêmico, já passou pela TV Timon, hoje TV Meio Norte, TV Antena 10 e atualmente apresenta o 'Ronda do Povão'.

Pádua, 41 anos de idade, nos conta um pouco da sua trajetória do Rádio até chegar a TV. Ele coleciona ao longo desses 28 anos de carreira algumas polêmicas e esclarece cada uma delas nesta entrevista.

Agradecemos a disponibilidade do apresentador, ao tempo que convidamos você a conferir, na íntegra, a conversa com ele.

Você possui formação na área jornalística?
Não! Eu sou locutor e apresentador pela minha DRT com registro de Radialista desde 1993. Tentei o vestibular e infelizmente na primeira tentativa eu não passei e depois já recém-casado tive que cuidar da família e aí tive que me dedicar mesmo a minha profissão de narrador de futebol e depois repórter policial até chegar na posição de locutor/apresentador. A minha formação acadêmica é o Radio AM. A minha faculdade é mesmo como autodidata mesmo.

Teve alguém como padrinho ou madrinha que lhe ajudou no início da sua carreira?
Eu já era repórter de campo lá em Piripiri de uma equipe esportiva comandada pelo meu irmão Zé Rezende, que é o prefeito hoje da Boa Hora, ele já era Radialista e era o comandante da equipe esportiva da Radio Itamaraty de Piripiri em 1988 então ficou muito mais fácil para mim entrar para o rádio. Então a porta se abriu pra mim no rádio pelo meu irmão.

Em quais empresas já trabalhou?
Comecei na Radio Itamaraty AM de Piripiri e de lá eu vim direto para o Sistema Meio Norte de Comunicação através da Radio Mirante AM,  rádio que ainda hoje existe. Ela está desativada, mas ainda existe como Meio Norte AM. De lá da Mirante AM eu vim pra TV Timon aqui em Teresina quando ela veio se instalar aqui. Como repórter policial eu comecei a fazer um programa chamado MN 40º, apresentado por Carlos Moraes. Da Mirante AM ela foi transformada em CBN, eu trabalhei com o Professor Barreto, na época com o Miguel Mendes, Edna Maciel dentre outros... Eu fui fazer o Ronda Policial e apresentei durante 4 anos até ser demitido da Meio Norte. Quando fui demitido do Ronda, fui trabalhar na TV Antena 10, na qual passei um período de 6 anos até ser demitido da emissora.

Ao longo da sua carreira você cravou alguns títulos e bordões como “compadre Pádua”, “cabra destemido”, “comigo tem água na cabeça”, “tá comigo ou tá com medo”. Explica pra gente como foram surgindo esses seus jargões.
Bom, na verdade essa é a nossa linguagem, a linguagem do 'cabroco, do matuto' Nós adaptamos, por exemplo, o Ratinho falava 'aqui tem café no bule' a gente adaptou para 'Aqui tem água na cabaça'.  Fizemos apenas adaptações para nossa atualidade. Mais também a gente cria muitos eu até já cheguei a ser chamado de 'Rei dos Jargões'.

Em 2009, você foi demitido da TV Antena 10 por fazer declarações polêmicas acerca do então Dep. Henrique Rebelo. Arrepende-se do que disse? Falaria algo do tipo novamente?
Na verdade ali foi um mal entendido e eu fui mal compreendido. Em nenhum momento eu atingi a honra do Deputado, cidadão de bem. Na verdade eu fui mal compreendido. Já existia uma briga na emissora com um diretor lá da nossa época que já mirava meu trabalho, já me perseguia. Então já tinha uma guerra interna na televisão e esse lance com o deputado foi só um 'estopim', não teve agressão nenhuma, tanto é que ele tentou me processar e o processo foi arquivado, porque da maneira que foi posto eu tinha que está preso, então  eu creio que eu fui mal compreendido, mal interpretado na época. Tanto é que zerou tudo e graças a Deus o mal entendido foi resolvido, já passou.  Na verdade tinha uma batalha interna na TV, naquele tempo eu e o Paulo Brito estávamos crescendo bastante na emissora do cidadão e colocamos o Balanço Geral lá em cima do topo e o diretor da emissora via a gente como uma ameaça.

Mesmo após esse tempo, ainda guarda alguma mágoa da TV Antena 10 ou de algum diretor?
Não, Não! Eu sou amigo dos proprietários da emissora, do Dr. José Elias Tajra que é um pai pra mim, sempre me tratou muito bem. Também sou amigo do Cláudio, meu irmão, onde eu fui muito bem recebido e eles sempre reconheceram o trabalho da gente e sou muito grato porque houve aprendizado e é claro, quando eu falo alguma coisa assim na TV que eu brinco, chamando a emissora de TV Fantasia, ali é só brincadeira. Eu não transmito ódio. Sempre na esportiva. Eu só brinco mesmo com a emissora porque é o que o programa requer, mais sou muito grato a todos eles da TV Antena 10. Às vezes as brigas, quando tem, são normais. É em razão da concorrência.

Em 2015, você reassume o ‘Ronda’, atração policial que anos atrás já tinha apresentado. Qual a diferença entre aquela primeira fase e essa fase de agora? 
Olha pra eu assumir o 'Ronda' agora não tive muita dificuldade porque eu já tive esse aprendizado lá atrás quando eu fiquei quase 4 anos no Ronda, quando a direção da TV era outra, quando era o Ademar Bastos, então pra mim não teve muita dificuldade. Eu entendi que o Ronda é um parque de diversão, entretenimento mesmo e claro que você não pode perder aquele policialesco que é o que dá o peso para o programa.


Você concorda com a afirmação de que o ‘Ronda’ virou um circo?
Na verdade essa frase fui eu que coloquei assim que nós estreamos o Ronda. "Gente não tem segredo pra apresentar o Ronda: o Ronda é um parque de diversão”. Mas, assim, parque de diversões não é bem um circo, o parque de diversão que eu falo é aquela alegria. O Ronda virou um circo porque não só o Ronda mais como muitos outros programas de TV estão apostando no entretenimento.

O ‘Ronda’ hoje concorrente com o ‘Balanço Geral’ apresentado por Beto Rego por pelo menos 40min. Qual o diferencial da sua atração para que os telespectadores não migrem para a concorrência?
Olha eu acho assim que o telespectador tem a capacidade de avaliar, de medir o que é conteúdo, autenticidade, verdadeiro ou falso. O telespectador é quem avalia o que tem conteúdo e o que é vazio.

Acompanha as críticas sobre o programa e sobre o seu trabalho? O que acha delas?
Olha eu preciso das críticas, gente. Porque ela vai fazendo a gente avaliar o programa, por exemplo, eu fico doente quando eu faço um programa e que o programa não ficou legal assim como a gente queria. Então eu tenho um senso critico muito avançado, eu preciso que alguém esteja me observando e diga 'Oh aquilo ficou legal, mas aquelo ali não ficou'. Eu preciso disso pra gente estar sempre procurando melhorar.


Conta pra gente como você avalia suas participações no '70 Minutos' como sendo meio que um comentarista sobre segurança pública.
Olha, eu vi alguém dizer, 'Ele não tem PHD'. E é verdade. Eu só fui chamado ali por ser um cidadão locutor, um radialista que vivencia o dia a dia da realidade de Teresina e que conhece a realidade política, econômica, segurança pública. E eu procuro participar do mesmo jeito que eu faço o Ronda, daquela forma  engraçada, com brincadeira, mas sem perder aquela minha indignação, aqueles meus jargões. É tão tal que a TV reconhece minha importância de estar participando do programa.


Pro fim, o que achou da crítica que foi publicada no Portal 8, no qual o titulo era 'O que faz Pádua Araújo no '70 Minutos'?

Eu entendi que vocês estavam fazendo uma comparação comigo e com os comentaristas de outras emissoras. Profissionalmente eu não faço nenhuma diferença como velho Pádua falando aqui e aqueles caras lá da TV Bandeirantes, ou seja, a diferença é que estamos em um Estado menor  e em uma TV que ainda está crescendo muito.  Mas, já é cabeça de rede, quase se tornado uma TV Nacional. 

MENSAGEM FINAL

Pádua: Eu gostaria de parabenizar vocês, porque nós temos muitos portais aqui no Piauí que falam de trabalhos de apresentadores, locutores nacionais e vocês estão focando aqui no Estado, focando nas emissoras locais, em artistas, jornalistas e apresentadores locais. E isso é muito bom! E muito obrigado por estarem sempre falando da Meio Norte porque a concorrência tem que saber o que a Meio Norte está fazendo. Hoje eu chamo até a concorrência de TV plágio, por estarem sempre nos copiando. Então o Portal 8 está de Parabéns, uma equipe com um trabalho excelente. Nós da TV acompanhamos o P8 e adoramos. Hoje, existe uma necessidade das pessoas saberem o que pensa o Galego, o que pensa o Laércio, o que aconteceu como pádua se o Pádua bebe se o Pádua não bebe e voçes sempre estão  antenados em nossas vidas para manterem as pessoas bem informadas. Eu quero também te agradecer pelo convite e dizer, vá em frente e lute pelos seus sonhos. 

Por Zeke Rodrigues
portalp8@gmail.com

0 comentários:

Interaja a vontade! Logo, logo o seu comentário será liberado.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Quem Somos-Trabalhe Conosco
Copyright © 2013 P8. Blogger Template by Bloggertheme9
Published..Blogger Templates. Powered by Blogger.
back to top